Energia Elétrica, Hídrica, Eólica, Fontes de Energia e outros

Fontes de Energia Renováveis – Exemplos, Importância e Problemas

15

Os seres humanos usam energia para, entre outras atividades, transportar pessoas, matérias-primas e produtos, realizar processos industriais e fazer uso de aparelhos como computadores, telefones e televisões. A economia mundial depende da capacidade de obter energia e usá-la para a satisfação dos objetivos das pessoas. Essa energia precisa ser obtida das fontes à disposição da humanidade.

As fontes de energia podem ser classificadas em renováveis e não-renováveis. As fontes renováveis de energia são aquelas que são repostas pela natureza em um ritmo compatível com o ritmo das atividades humanas.

São exemplos de fontes de energia renováveis:

  • vento, que produz a energia eólica;
  • a água dos reservatórios, usada para a produção de energia hidroelétrica e reposta pela chuva;
  • a biomassa (matéria orgânica, como etanol, biogás e biogás, mas excluindo combustíveis fósseis, como carvão e petróleo, que pode ser usada para produzir energia).

São chamadas fontes de energia não renováveis aquelas que não são renovadas em uma escala compatível com as atividades humanas.

Entre as fontes de energia não-renováveis podem ser elencados os combustíveis fósseis, como o petróleo, o carvão e o gás natural, que são produzidos por processos naturais a uma taxa extremamente lenta, e elementos radioativos como o urânio, usado nas usinas nucleares.

Fontes de Energia Alternativas

Na verdade, não há um consenso sobre quais são as fontes englobadas pelo conceito de fontes de energia alternativas. Muitas vezes, o conceito é usado simplesmente como um sinônimo para fontes de energia renováveis ou fontes de energia menos poluentes.

Fontes-de-Energia-Energia-Solar-Energias-Renováveis

De modo geral, porém, as fontes de energias renováveis podem ser definidas como as fontes de energia apresentadas como alternativa à queima de combustíveis fósseis.

As energias nuclear, solar, hidroelétrica, eólica e nuclear podem ser consideradas exemplos de energia alternativa.

A Importância das Fontes de Energia Renováveis

A exaustão das fontes de energia não renováveis, sobre muitas das quais está assentado o atual modelo econômico, ameaça a humanidade com o espectro da escassez energética e, consequentemente, com declínio econômico, distúrbios sociais e instabilidade política.

Gás-Natural-Energia-Não-Renovável

Por essa razão, é fundamental que haja investimentos em pesquisas e infraestrutura ara a exploração eficiente das fontes de energia renováveis.

Há outros problemas com as fontes de energia não-renováveis. A queima de combustíveis fósseis, por exemplo, produz gás carbônico, que é um dos gases responsáveis pelo Aquecimento Global e pela acidificação dos oceanos, e outros poluentes.

Apesar das inúmeras precauções tomadas, usinas nucleares ocasionalmente são palco de acidentes como os de Chernobil, na antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, e de Fukushima, no Japão.

Problemas das Fontes de Energia Não-Renováveis

Apesar de sua importância para o futuro da humanidade, as fontes de energia renováveis, infelizmente, não são isentas de aspectos preocupantes.

Essas fontes tendem a produzir uma energia mais cara do que a energia produzida através do consumo de combustíveis fósseis, o que significa que a disseminação mais ampla delas ou servirá como um fator limitante para o crescimento econômico ou dependerá de avanços que os tornem mais baratos que vem acontecendo, por exemplo, com a energia solar: apenas em 2015, por exemplo, o preço do Kwh de energia solar, nos Estados Unidos, caiu entre 5% e 12% dependendo do tipo de equipamento instalado).

Fontes como o vento e a luz solar são intermitentes, não estão disponíveis o tempo todo. A energia produzida através deles, precisa, portanto, ser armazenada para uso posterior, o que, por motivos práticos, é um obstáculo a sua adoção mais ampla a não ser que haja mais avanços nas técnicas de armazenamento de energia.

Além de tudo isso, embora a ideia de fontes renováveis de energia esteja ligada à ideia de conservação de recursos naturais, isso não significa que essas fontes sejam necessariamente não-poluentes. A queima de biomassa, por exemplo, produz poluição do ar. As barragens de usinas hidroelétricas – com água cobrindo matéria orgânica de origem vegetal – podem emitir metano, um gás poluente.



Deve ainda ser levado em conta o impacto social que o uso dessas fontes podem ter. O cultivo de biomassa, cana-de-açúcar, por exemplo, para a extração de energia concorre com o cultivo de alimentos, o que pode causar impactos negativos como o aumento dos preços de gêneros alimentícios e maior dificuldade para que as pessoas, especialmente as mais pobres, possam se alimentar adequadamente.

Energia-Biomassa-Fonte-de-Energia-Alternativa

A construção de hidroelétricas pode exigir a remoção de populações.

O Brasil e as Fontes de Energia Renováveis

A matriz energética (conjunto das fontes de energia de que uma região se serve para satisfazer suas necessidades energéticas) do Brasil apresenta uma grande participação de fontes de energia renovável – sobretudo graças ao peso da energia hidroelétrica, da qual o Brasil, ajudado por sua geografia, é o terceiro maior produtor do mundo, atrás apenas de China e Canadá.



Segundo o Ministério das Minas e Energia (MME), a energia produzida através de fontes renováveis responde por mais de 40% da energia despendida no país. Nos Estados Unidos, por exemplo, segundo a US Energy Information Administration (principal agência americana dedicada a coletar, analisar e divulgar dados sobre energia), essa participação não chega a 15%.

Se for considerada apenas a energia elétrica consumida, a participação das fontes de energia renováveis, no Brasil, ainda segundo o Ministério das Minas e Energia, é de cerca de 84%.

Energia-Elétrica-em-São-Paulo-a-Noite

Os anos entre 1970 e 2000 assistiram à priorização da energia hidroelétrica, com obras como Itaipu, que foi durante muito tempo a maior hidroelétrica do mundo. Com o aproveitamento quase total do potencial hidroelétrico do país, tem se imposto a necessidade de investir em outras fontes de energia e diversificar a matriz energética nacional.

A cana-de-açúcar, com produtos como o etanol e o bagaço (para produção de eletricidade), tornaram-se a segunda maior fonte de energia do Brasil, ficando atrás apenas do petróleo e seus derivados. Entre os anos de 2004 e 2014, a produção de energia elétrica a partir do bagaço obtida da cana aumentou 75%.

Em 2015, o Brasil tornou-se o décimo maior produtor de energia eólica, esse tipo de energia sofreu uma expansão superior a 60% em 2015 e passou a satisfazer mais de 8% das necessidades de eletricidade do país.