Energia Elétrica, Hídrica, Eólica, Fontes de Energia e outros

Curto Circuito – O Que É? Como Acontece? Como Evitar?

Descubra o que é um Curto Circuito, como ele acontece, e também veja algumas dicas de como evitar problemas com sua afiação elétrica.

29

A maior parte das pessoas já deve ter tido experiências com curto circuitos e as frustrações – e riscos – que eles podem trazer na forma de interrupção de atividades e danos a equipamentos.

Apesar da quase ubiquidade do fenômeno do curto circuito, a maior parte das pessoas provavelmente não sabe exatamente o que é um curto circuito e não conhece nem os riscos que ele oferece nem o que pode ser feito para impedir que um curto circuito aconteça.

Embora a expressão curto circuito seja popularmente usada para designar problemas elétricos em geral, um é basicamente o que acontece quando a corrente elétrica segue um caminho não-planejado com pouca resistência.

A causa de um curto circuito, seja nas instalações elétricas de uma casa ou estabelecimento, seja em um aparelho elétrico é uma conexão defeituosa entre nódulos de um circuito. Um exemplo comum desse tipo de conexão é o contato de dois fios, por exemplo.


Como a resistência diminui, a corrente elétrica (inversamente proporcional à resistência) aumenta, e, com ela, aumenta a potência dissipada (quantidade de energia transformada em calor), o que pode levar a um aquecimento excessivo do circuito.

Entre os riscos causados por curto circuitos estão incêndios, fumaça, “pipocos, explosões, “choques elétricos e danos a aparelhos elétricos.

POSSÍVEIS CAUSAS DE CURTO CIRCUITO

Entre as possíveis causas das conexões defeituosas citadas acima e, portanto, de curtos circuitos, podem ser mencionados ligações mal feitas e fios com problemas em suas capas isolantes – devido à idade deles, ao desgaste natural com o passar do tempo do material de que elas são ou feitas ou a danos provocados, por exemplo, por roedores como esquilos, ratos e camundongos.

COMO EVITAR QUE CURTO CIRCUITO ACONTEÇA

CURTO CIRCUITO - TOMADAS

Em primeiro lugar, é bom salientar que existem alguns mecanismos, como fusíveis e disjuntores, que servem para proteger uma instalação elétrica de maiores danos em caso de curto circuito. Eles abrem o circuito, interrompendo a corrente antes que os efeitos do pico de corrente (aquecimento do circuito, por exemplo) tenham podido danificar a instalação e talvez possam evitar que o curto circuito cause um acidente de consequências mais graves.

DIFERENÇA ENTRE FUSÍVEIS

A vantagem dos disjuntores é que estes não precisam ser substituídos depois de um curto circuito e aqueles precisam.


MEDIDAS QUE PODEM AJUDAR A PREVENIR CURTO CIRCUITOS

Algumas medidas podem ajudar a evitar curto circuitos. Por exemplo, pedir a um profissional que faça uma vistoria das instalações elétricas do local em busca de falhas (tis verificações devem ser relativamente frequentes – a cada cinco anos, por exemplo, ou quando houver suspeita de que há algo de errado).

Prestar atenção à ocorrência de certas situações também ajuda a evitar a ocorrência de curtos circuitos: se fusíveis ou disjuntores têm que entrar em ação com frequência em um local, é sinal de que a instalação está sendo sobrecarregada.

Pedir a um profissional que se encarregue de fazer as adaptações e ligações que se fizerem necessárias nas instalações do local em vez de fazê-las por conta própria é altamente recomendável.



Verificar o estado dos fios das instalações e substituir aqueles que estiverem descascados, amassados ou cuja capa isolante esteja corroída é importante. Se os fios de aparelhos estiverem apresentando temperatura anormalmente alta, pode ser sinal de que um curto circuito esteja a caminho – convém consultar um profissional.

Recomenda-se evitar usar vários equipamentos na mesma tomada, dispensando-se dessa forma o uso de benjamim (também chamado de multiplicador de tomadas ou T), pois eles podem sobrecarregar a rede elétrica, levar os fios a superaquecer e derreter, causar curto circuitos e danificar os aparelhos ou causar acidentes como incêndios.